Terça-feira 28 de Maio de 2024

Sporting aproveitou derrota do Sporting de Braga e reduziu distância para quatro pontos na Liga Bwin

01fev_scp_braga_501Numa partida com sentido único desde o início, os leões de Ruben Amorim “cilindraram” (4-0) os castores do Paços de Ferreira, que até contribuíram para a vantagem leonina, ao terem visto Marafona a introduzir a bola na própria baliza quando pretendia afastá-la.

Com a bola nos pés, Marafona endossou-a ao seu colega Luiz Carlos, situado na linha da grande área que, na resposta, voltou a atrasar o esférico para o guardião, mas para a zona do poste direito da baliza, guarda-redes que não conseguiu chegar a tempo, tendo a bola batido no poste e entrado na baliza depois de tocar no corpo de Marafona.

No que terá sido uma jogada normal, os dois jogadores do Paços não “falaram” a mesma língua e o golo acabou por ser contabilizado para os leões, de acordo com as regras, mas não deixa de ser esquisito.

A partir daqui, quebrada a defesa pacense, o Sporting continuou a mandar na partida em que Nuno Santos – a passe de Trincão – se esgueirou pela esquerda, ganhou espaço na frente, chegou-se à linha da grande área e viu o guardião (Marafona) a sair da baliza, tendo feito um chapéu à medida e rematou em arco, por cima, para chegar ao 2-0, resultado com que se chegou ao intervalo.

No segundo tempo, o Sporting continuou a dominar (19-7 em remates, dos quais 11-2 para a baliza, numa posse de bola de 65/35%) e Trincão (62’) chegou ao 3-0 depois de ser servido por Pedro Gonçalves, de dominar a bola, virar-se na direcção da baliza, ultrapassar um defesa e rematar na passada para o golo que seria (foi) da tranquilidade leonina para a última meia hora de jogo.

Nas compensações, o Sporting chegou ao 4-0 (90+3’), com Chermiti a surgir isolado frente ao guardião do Paços, a passe de Arthur, e com a sola da bola do pé direito a empurrar a bola para o fundo da baliza, num triunfo que talvez pecasse por tamanha diferença, mas que não beliscou em nada a justeza da vitória do Sporting.

Triunfo que valeu ficar a apenas quatro pontos do Sporting de Braga, aumentando a “fricção” para as últimas três jornadas, em que o Sporting recebe o Marítimo e o Benfica em casa e vai a Vizela, enquanto os bracarenses jogam em casa com o Santa Clara, visitam o Boavista e recebem o Paços de Ferreira, podendo afirmar-se que a tarefa dos bracarenses é bem menos “perigosa” do que a dos leões.

É o sortilégio do desporto, para o caso no Futebol, mas ainda faltam três jogos para se ver o que vai acontecer.

Para já, esta segunda-feira, para se concluir esta 31ª ronda da Liga Bwin com a realização dos jogos Famalicão-Chaves (19h) e Arouca-FC Porto (21h15).

De salientar, entretanto, que o Moreirense está de regresso à I Liga, depois de triunfar na Liga Sabseg (II Divisão), enquanto se salienta ainda mais um feito inédito, alcançado pelo Clube de Futebol “Os Belenenses” que, após cinco épocas sempre a subir de categoria – desde que se reiniciou nos regionais de Lisboa – obteve o passaporte para entrar na II Liga para a próxima época.

© 2024 Central Noticias. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.