Segunda-feira 21 de Setembro de 2020

A sexta etapa da Volta a Portugal acabou

Chegada-4-8-15

DR – Nuno Veiga

A sexta etapa da Volta a Portugal acabou, de alguma forma, por não ter o brilho que se viu quando da chegada, comparando com os muitos rostos tristes que se viram na altura da cerimónia da entrega dos prémios aos melhores.

É que não se percebeu muito bem o que se passou com a retirada da vitória ao que primeiro chegou (José Gonçalves), o que, do ponto de vista de imagem não é favorável, pese embora possam existir razões técnicas para o efeito.

José Gonçalves (Caja Rural-Seguros RGA) foi o primeiro a cruzar a linha de meta, em Oliveira de Azeméis, mas devido a sprint que o Colégio de Comissários considerou irregular, a vitória foi atribuída, esta terça-feira, ao camisola amarela Gustavo Veloso (W52-Quinta da Lixa) que terminou atrás do português.

Prestes a subir ao pódio para ser consagrado herói do dia, Gonçalves teve conhecimento da decisão dos comissários e um profundo descontentamento inundou-lhe o rosto e embargou-lhe a voz. Os comissários desclassificaram-no atribuindo-lhe o último lugar do grupo em que estava integrado além de uma penalização de 30 segundos.

Pelo lado de Gustavo Veloso, apesar de sair vencedor, também não havia alegria. “Não gosto de ganhar assim, com este tipo de polémicas, gostava de vencer tranquilo e satisfeito. Não consigo dizer se é uma boa decisão. Também eu tive dúvidas. Nestas chegadas não sabemos o que fazemos”, referiu o galego que bonificando 10 segundos, devido à vitória, passou a dispor de 21 segundos de vantagem sobre o segundo da geral, o companheiro de equipa Delio Fernández. Para o terceiro classificado, Jóni Brandão (Efapel) a diferença é agora de 51 segundos.

Para além de continuar a envergar a camisola amarela Liberty Seguros, Gustavo Veloso continua no topo da classificação dos pontos Banco BIC e do Prémio Kombinado KIA. Bruno Silva (LA Alumínios-Antarte) vai para o dia de descanso com a camisola azul Fundação do Desporto, símbolo do Prémio da Montanha e o russo Aleksey Rybalkin (Lokosphinkx) continua a ser o melhor jovem em prova, camisola branca RTP.

No filme da corrida e habituado a treinar nas estradas da região, Filipe Cardoso (Efapel), da equipa que tem sede em Ovar, deu o mote para se formar um grupo de oito corredores na frente de corrida. Estavam percorridos 12 quilómetros. A alta velocidade provocou baixas entre os fugitivos depois de cerca de 70 quilómetros a pedalarem juntos. Na primeira passagem pela Avenida D. Maria I, em Oliveira de Azeméis, colorida pela festa da Volta e sobretudo pelos milhares de espectadores curiosos em ver passar o pelotão, e quando ainda faltavam 30 quilómetros para o fim, surgia apenas Jordi Simon (Ecuador) mais destacado.

Rapidamente Filipe Cardoso voltou à frente e animou os instantes finais da tirada. Quando faltavam 13 quilómetros, o pelotão, comandado em grande parte da tirada pelos algarvios do Team Tavira, acabou com um Filipe “teimoso”. Ainda assim o corredor foi novamente galardoado com o prémio de mais combativo do dia. No fim de tudo assistiu-se a mais um sprint a alta velocidade como se o pelotão tivesse pressa para a jornada de repouso.

Esta quarta-feira é dia de descanso e a manhã será dedicada aos cicloturistas que vão fazer a 9ª Etapa da Volta RTP Vitalis. Com dois percursos, de 100 e 73 quilómetros, esta jornada de ciclismo e convívio passa por alguns dos mais bonitos cenários do concelho de Oliveira de Azeméis, com a Ria de Aveiro a servir de pano de fundo durante alguns quilómetros.

A 9ª Etapa da Volta RTP Vitalis será também uma homenagem ao falecido corredor Bruno Neves, natural de Nogueira do Cravo, freguesia de Oliveira de Azeméis, onde os participantes poderão fazer uma paragem para abastecimento.

Integrada na jornada cicloturista acontece também a Classe Vintage, que tem como objetivo promover o património histórico ligado à Volta a Portugal e ao ciclismo no mundo. Os mais novos, apadrinhados por glórias do ciclismo português, vão participar na Mini Etapa da Volta.

A Volta a Portugal Liberty Seguros regressa às estradas na quinta-feira com a etapa rainha: a longa subida ao topo da Serra da Estrela pela dificílima vertente da Covilhã. A sétima etapa vai partir de Condeixa-a-Nova, uma estreia no mapa da competição.

© 2020 Central Noticias. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.