Segunda-feira 21 de Setembro de 2020

Ronaldo com recorde de 101 golos na selecção, no triunfo de Portugal ante a Suécia

Segundo jogo, segunda vitória de Portugal na Liga das Nações, desta vez frente à Suécia, com dois golos de Ronaldo, que continua a bater recordes em cada jogo que faz e onde, uma vez mais, brilhou não tanto pelo jogo jogado mas sim pelos belos remates que fez, com régua e esquadro, na procura no melhor ângulo.

No regresso a Estocolmo, onde há sete anos brilhou com um ‘hat-trick’ frente aos suecos (3-2), que valeu o apuramento para a fase final do Mundial de 2014, Cristiano Ronaldo voltou a destacar-se, ao ultrapassar a fasquia dos 100 golos com a camisola de Portugal.

FPF

FPF

Com isso, Ronaldo ficou agora mais perto de alcançar a melhor marca da história do futebol mundial, que pertence a Ali Daei, que apontou 109 ao serviço do Irão, entre 1993 e 2006.

Se bem que a vantagem maior tivesse sido a posse de bola (60-40%), a verdade é que o perigo de golo poucas vezes esteve à vista, porquanto Portugal jogou de forma “miúda”, naquele tipo que “até chateia”, porquanto não avançava no terreno de jogo, apesar de uma ou outra ida mais além.

Daí que os remates que se fizeram foram poucos para a baliza, até porque os suecos também entraram a jogar com defesa alta, o que não permitia muito espaço em aberto, ainda que fossem mais rápidos a passar a bola e avançar para o meio campo luso, mas sem “genica” para rematar.

Ainda assim, Bruno Fernandes (19’) aproveitou uma aberta e rematou forte, que Olsen defendeu para canto, do qual resultou mais uma recarga de Raphael mas a bola voltou para canto, sem dar mais nada.

Logo se seguida, foi Pepe a chegar um tudo nada atrasado a um canto marcado por Bernardo Silva, levantando a bola para o segundo poste mas com o central luso a não chegar à bola por milímetros.

Na sequência desta jogada, Bernardo Silva ficou lesionado e, por precaução, acabou por sair, dando o lugar a Gonçalo Guedes.

No seguimento de outro canto, marcado (25’) por Bruno Fernandes, a bola chega a Ronaldo que, à meia volta, rematou forte mas Olsen defendeu com os pés, situação que se repetiu (39’), quando Ronaldo foi lançado para a grande área, ajeitou a bola e rematou de pronto, com o guardião sueco voltar a defender com os pés.

Danilo ainda tentou (41’) chegar ao golo mas a boa foi defendida pelo guardião local.

O primeiro “desaire” para a Suécia chegou (43’), quando Svensson cometeu falta sobre João Moutinho e foi expulso por segundo amarelo, ficando os suecos reduzidos a dez unidades.

Do respectivo livre, frontal, Ronaldo encheu o pé, tirou a bissectriz do ângulo e enviou a bola como que teleguiada para passar a poucos centímetros da mão do guardião Olsen e anichar-se na baliza sem apelo nem agravo.

No segundo tempo, Portugal aumentou a velocidade de jogo, passou a dominar mais – quiçá também por cansaço dos suecos, reduzidos a dez jogadores – muito embora nos primeiros dez minutos Bruno Fernandes, João Moutinho e João Félix tivessem mandado a bola para as “nuvens”, sem nexo, tão maus foram os remates.

Pouco depois, Bruno Fernandes “armou-se” em birras, e chutou a bola para longe depois de o árbitro ter marcado uma falta. Levou um amarelo e calou-se para sempre!

Bruno voltou à carga, mas desta vez para surgir isolado perto da pequena área e ter desviado a bola na direcção da baliza mas esta subiu demais, resvalou na barra e saiu por cima.

Quando o jogo já estava “meio parado”, um remate de Cancelo, ao estilo de “costa a costa”, a bola foi da defesa até à área sueca, onde o capitão luso estava atento, dominou a bola e com uma precisão parecida com a que teve no primeiro golo, rematou (72’) colocado e sem defesa para o guarda-redes sueco, já em fase desequilíbrio, fazendo o 2-0.

Nos últimos quinze minutos, Portugal ainda teve oportunidade de elevar o resultado mas João Félix rematou à figura do guardião sueco, primeiro e, depois (85’), chegou atrasado ao que podia ter sido o 3-0, terminando a partida com mais um triunfo luso, perfeitamente justificado, ainda que facilitada pela expulsão do jogador sueco ainda no primeiro tempo.

Com os seis pontos somados no sábado e nesta terça-feira, a formação lusa comanda a classificação no Grupo 3 da primeira divisão da Liga das Nações, em igualdade pontual com a França, que venceu a Croácia por 4-2. Suecos e croatas ainda não somaram qualquer ponto.

Sob a direcção, quase perfeita, do holandês Danny Makkelie, as equipas alinharam:

Suécia – Olsen; F. Helander, Augustinsson, Krafth e Jansson; Svensson (amarelo e vermelho por segundo amarelo, (14 e 44’), Olson e Berg; Forsberg (Svanberg, 79’), Isak (Quaison, 71’) e Kulusevski (Ekdal, 90’).

Portugal – Anthony Lopes; João Cancelo, Pepe, Rúben Dias e Raphael Guerreiro; João Moutinho (Rúben Neves, 73’), Danilo e Bruno Fernandes; João Félix, Ronaldo (Diogo Jota, 81’) e Bernardo Silva (Guedes’22, por lesão).

 

 

 

© 2020 Central Noticias. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.