Sexta-feira 14 de Maio de 2021

João Domingues começou a ganhar no ATP Challenger Tour Split II

FP Tenis

FP Tenis

João Domingues estreou-se no quadro principal de singulares do ATP Challenger Tour Split II, na Croácia, que se iniciou nesta segunda-feira, conquistando o direito de passar à segunda fase da competição.

Para o efeito, Domingues (189º) teve que vencer, na primeira ronda (32avos), o australiano Alex Bolt, por 6-1 e 6-3.

Nos dezasseis-avos, Domingues vai defrontar o francês Mathias Bourgue (217º).

Neste torneio estão também em competição alguns dos tenistas que participaram nos Oeiras Open I e II, que se efectuaram no court principal do Complexo de Ténis do Jamor.

Entretanto, foram, esta segunda-feira, publicados os rankings ATP, onde Gastão Elias, Nuno Borges e Tiago Cação registaram subidas acentuadas.

Enquanto Gastão Elias, semifinalista no ATP Challenger 50 Oeiras II, ascendeu à 308.ª posição, após ter ganho 15 degraus, Nuno Borges, vice-campeão no segundo torneio no Jamor, subiu 46 lugares, para ocupar a 332.ª posição, o registo máximo pessoal.

Tiago Cação, que repetiu a presença nos quartos-de-final no ATP Challenger 50 Oeiras II, galgou 27 posições, depois de averbar sete pontos.

Gonçalo Oliveira subiu oito lugares e Luís Faria ganhou doze.

No topo da tabela, João Sousa subiu para 106.º e Pedro Sousa para 112.º, ambos com um ganho de apenas uma posição.

Frederico Silva também subiu um lugar e ocupou a 173.ª posição, enquanto João Domingues manteve-se em 189º.

No lado feminino, Francisca Jorge e Inês Murta perderam ambas um degrau no ranking WTA, na semana em que competem no Oeiras Ladies Open, torneio da série W60 do ITF Women’s World Tennis Tour.

Enquanto Francisca Jorge posicionou-se em 464ª, Inês Murta desceu para a 623ª posição.

Com um lugar ganho, Maria Inês Fonte foi a única tenista portuguesa a subir na actualização, encontrando-se agora em 948ª.

Sara Lança desceu um lugar, para se fixar em 1.055ª e Ana Filipa Santos perdeu dois, ocupando agora a 1.193ª.

Rita de Oliveira Pinto, Matilde Jorge e Inês Oliveira, todas com menos dois lugares, estão em 1.362ª.

Entretanto, Inês Murta, a primeira tenista portuguesa em acção, esta segunda-feira, no W60 Oeiras Ladies Open, foi eliminada no encontro da ronda um do quadro principal de singulares, no Central do Jamor.

Murta defrontou Maryna Zanevska o acesso à ronda dois e a belga venceu por duplo 6-0.

Ana Filipa Santos ficou também pela ronda inaugural do quadro principal de singulares, depois de duas horas e um quarto no Central, foi afastada pela ucraniana Elizabet Hamaliy, radicada em Portugal, por 7-6 (1) e 6-3.

Francisca Jorge defronta a holandesa Richel Hogenkamp nesta terça-feira, no quadro de singulares, voltando ao court com a também portuguesa Inês Murta, no torneio de pares, onde estará também Ana Filipa Santos de parceria com Elizabet Hamaliy.

Por outro lado, Vasco Costa, presidente da Federação Portuguesa de Ténis, fez o balanço – no site da competição – dos dois Oeiras Open 50 Challenger, no Jamor, tendo salientado que “foram duas semanas intensas, em que tivemos vários jogadores portugueses em prova. Esse é sempre o objectivo da Federação Portuguesa de Ténis, isto é, que haja vários jogadores a participar neste tipo de torneios e, para além disso, tivemos dois jogadores a ganhar o primeiro ponto ATP, o Tiago Torres e o Henrique Rocha, e também dois finalistas, o Gastão Elias e o Nuno Borges. Infelizmente não tivemos um vencedor nem na primeira, nem na segunda semana, mas como sabem acabámos com a vitória de um par português, o Nuno Borges e o Francisco Cabral”.

Destacou ainda “o objectivo da Federação Portuguesa de Ténis é continuar a apostar neste tipo de provas no sentido de permitir aos nossos jogadores ganharem pontos a jogar em casa”.

Vasco Costa sublinhou também que o plano passa por “organizar sete a oito torneios Challenger neste ano de 2021”.

© 2021 Central Noticias. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.