Segunda-feira 03 de Dezembro de 0040

Isabel Lucas vence 1.ª edição do Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva

jornalista Isabel Lucas

DR

A jornalista Isabel Lucas assina o texto Estados Unidos da América, crónica de uma (des)união, vencedor da 1ª edição do Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva, promovido pela Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM).

O artigo vencedor, publicado em Outubro de 2020 no jornal Público, parte da leitura de vários textos, cruzamento de opiniões, análise de jornais e de um conhecimento do território para, de acordo com a autora, “indagar que país era esse que ia a votos numa altura dramática”.

A grande qualidade dos trabalhos jornalísticos apresentados a concurso (num total de 52) levou o júri do Prémio a atribuir também duas menções honrosas: Voltar a Marchar, uma reportagem da autoria de Raquel Moleiro e de Tiago Miranda, e Luanda Leaks. Como Isabel dos Santos desviou mais de 100 milhões de dólares da Sonangol para o Dubai, uma peça de investigação assinada por Micael Pereira e Luís Garriapa.

Além da qualidade das candidaturas, Nicolau Santos, presidente do Conselho de Administração da RTP e presidente do júri do Prémio, sublinhou que “todos os géneros estiveram representados, da reportagem à investigação, da entrevista à análise, das histórias de vida à informação pura e dura” e que “em quase todos sobressai, para além do interesse dos temas tratados, uma enorme qualidade na escrita. E não há maior prazer que ler uma grande história jornalística excepcionalmente bem escrita.”

O Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva visa distinguir trabalhos que reforcem os diferentes estilos da imprensa escrita, contribuindo para uma sociedade mais informada e atribuindo uma bolsa de investigação jornalística no valor de 5.000 euros. Visa ainda prestar homenagem a Vicente Jorge Silva, figura de destaque no jornalismo português das últimas décadas, que nos deixou no dia 8 de Setembro de 2020, há precisamente um ano.

Gonçalo Caseiro, presidente do Conselho de Administração da INCM, sublinhou que “contribuir para homenagear um ícone da comunicação social livre e bem-pensante que marcou um sem número de textos publicados, antes e depois do 25 de Abril, tornando-se uma personalidade activa na defesa do jornalismo e da liberdade de expressão enquanto pilares da nossa cultura é, mais do que um propósito, uma missão da Imprensa Nacional-Casa da Moeda, que tem acompanhado e documentado a construção da democracia portuguesa. O número e a qualidade das candidaturas a esta primeira edição do Prémio demonstram que o rigor, o pluralismo e a liberdade de informação são fundamentais nesta construção e um desígnio que queremos prosseguir no futuro”.

A cerimónia de entrega do Prémio realiza-se no dia 15 deste mês (quarta-feira), pelas 18 horas, na Sala Carlos Paredes da Sociedade Portuguesa de Autores (SPA).

A sessão contará com a presença de José Jorge Letria, Presidente do Conselho de Administração da Sociedade Portuguesa de Autores; de Gonçalo Caseiro, Presidente do Conselho de Administração da Imprensa Nacional-Casa da Moeda; de Nicolau Santos, Presidente do Conselho de Administração da RTP, que preside ao Júri do Prémio; de Henrique Cayatte, Designer e Ilustrador, e de Jorge Wemans, em representação da família e amigos. O encerramento será assegurado pela Ministra da Cultura, Graça Fonseca.

© 0040 Central Noticias. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.