Terça-feira 28 de Maio de 2024

Garantia FPF para vídeo-árbitro já em 2017/2018

video_arbitro_balanco_2016_fpf

Fernando Gomes revelou os objectivos da decisão federativa ao afirmar que “sempre foi nossa preocupação dar as melhores condições aos árbitros que exercem uma função que não é fácil. O espírito da federação sempre passou por darmos aos árbitros a melhor preparação e formação, além de disponibilizarmos meios auxiliares para melhor exercerem a sua função. Queremos claramente que os árbitros errem cada vez menos e esta ferramenta, estamos convencidos disso, será muito importante para diminuir a margem de erro”.

O líder federativo explicou ainda que esta decisão já foi autorizada pelo IFAB (International Board), ao acrescentar que “como sabemos, a época 2017/18 ainda será de testes, uma vez que o vídeo-árbitro só será definitivo em 2018/19, mas o IFAB, em função da capacidade que cada federação demonstra, pode autorizar a sua utilização oficial. E já recebemos a indicação de que isso será possível no nosso caso”.

Fernando Gomes revelou igualmente que a FPF, assumirá todos os custos da implementação desta tecnologia na Liga NOS, a principal competição portuguesa afirmando que “dentro da nossa capacidade, vamos assumir os custos do lançamento, verificação e utilização do vídeo-árbitro que, como se sabe, são elevados”.

O Presidente da FPF também demonstrou orgulho no trabalho pioneiro da FPF na introdução desta tecnologia de auxílio aos árbitros: “Foi um processo longo. Iniciámos o caminho há 15 meses com o nosso pedido para estarmos na linha da frente do vídeo-árbitro. Depois de testarmos “off line” em nove jogos na Taça de Portugal, vamos testar “live” na Final da Taça de Portugal. Já tivemos nove ou dez árbitros envolvidos nestes testes e foram dois deles que testaram a sua utilização para a FIFA. A Final da Taça de Portugal será o culminar de um processo longo com um enorme envolvimento da nossa equipa”, terminou.

Recorde-se que a Federação Portuguesa de Futebol é pioneira no processo de implementação desta nova tecnologia e escolheu a Final do Jamor, marcada para 28 de maio, domingo, para completar uma série de dez jogos-teste para o VAR (Video Assistant Referee).

Portugal está, desde a primeira hora, na linha da frente da introdução do vídeo-árbitro como instrumento de auxílio às decisões dos árbitros em momentos fundamentais do jogo.

A FPF manifestou, desde aí, a intenção de avançar com o vídeo-árbitro “o mais depressa possível” e “no maior número de competições possível”.

A 5 março de 2016 o International Board (IFAB) aprovou o vídeo-árbitro, com dois anos para testes. E a 2 junho de 2016 o IFAB aprovou o protocolo para arranque dos testes e incluiu Portugal na lista dos seis países a acolher a fase experimental: os outros países pioneiros no vídeo-árbitro são Austrália, Brasil, Alemanha, Holanda e EUA.

Nesta época 16/17, a FPF, no culminar de um processo que já começou há 17 meses, introduziu testes para o vídeo-árbitro logo na Supertaça Cândido de Oliveira, realizada em agosto passado em Aveiro, e prosseguiu esses testes, ainda em modo «off line», em partidas de todas as fases da Taça de Portugal Placard, desde a 5.ª eliminatória, disputada em Dezembro.

Esses testes têm como objectivo aperfeiçoar a introdução deste sistema inovador de auxílio às decisões do árbitro em lances cruciais, num processo que durará mais um ano.

Lances cruciais que vão desde o confirmar o golo às grandes penalidades, bem como à mostragem de cartões e eventual troca de identidade do jogador a ser sancionado.

É preciso inovar. Aí está. Com o tempo se verá qual a reacção dos agentes envolvidos, desde técnicos a jogadores e a dirigentes.

© 2024 Central Noticias. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.