Segunda-feira 30 de Novembro de 2020

Portugal venceu (3-0) a Suécia, com “bis” de Diogo Jota, para a Liga das Nações

Num jogo com características diferentes das que se verificaram com a França (domingo passado), a selecção das Quinas mudou a “agulha” e goleou os sempre difíceis suecos por 3-0, mantendo a liderança na Divisão A da Liga das Nações, ainda que a par da França, que derrotou a Croácia (2-1).

Portugal começou a jogar pelo ataque e (4’) o golo esteve à vista depois de Cancelo levantar a bola para William, colocado ao segundo poste, com o médio luso a cabecear para a baliza mas com a bola a tomara direcção do ferro, o que foi o primeiro sinal de que a equipa das Quinas estava em campo para “despachar” o “bacalhau” sueco, bastas vezes algo indigesto para os portugueses.

Com um jogo mais aberto, com a bola a rolar de jogador em jogador com maior rapidez do que é tradicional – quiçá por causa da “ausência” do capitão Cristiano Ronaldo – o que criou alguma vantagem à turma lusa nos primeiros vinte minutos do encontro.

Tanto assim foi que (21’), Portugal abriu o activo com um golo de Bernardo Silva, depois de um lançamento de Bruno Fernandes, que endossou a Diogo Costa, que se isolou pela esquerda, contornou um defesa e entrou no corredor central e endossou a bola a Bernardo Silva, no outro lado da grande área, onde o avançado português surgiu sem ninguém a estorvar e aproveitou para fazer o 1-0 para Portugal.

Os suecos davam pouco espaço de manobra e “obrigavam” Portugal a ter que girar bem para avançarem, se bem que os lusitanos começaram a oscilar face à pressão dos adversários, tendo (35’) atirado uma bola ao poste, ainda que pela lateral exterior, que nem “medo” meteu.

No entanto, a defesa portuguesa teve alguns problemas para segurar os suecos nos últimos dez minutos do primeiro tempo, mas conseguiu chegar ao segundo golo num rápido contra-ataque.

Cancelo fez um lançamento longo para isolar Diogo Jota (que pareceu fora-de-jogo por poucos centímetros), tendo o avançado luso dominado a bola e rodopiou para fazer o 2-0 sem grandes dificuldades.

No último minuto da compensação (45+2’), a Suécia perdeu uma grande oportunidade para reduzir, com Berg a surgir isolado frente a Rui Patrício mas a rematar por cima da barra.

Neste primeiro tempo, os suecos tiveram maior posse de bola (52/48%) mas Portugal foi mais objectivo e marcou dois golos.

No segundo tempo, os suecos entraram dispostas a tentar modificar as coisas e (48’) Rui Patrício teve que voar para evitar o golo dos visitantes.

Situação que voltou a verificar-se (55’), quando o guardião nacional a voltar a voar e desviar a bola para canto, do qual nada resultou.

Três minutos depois, Bernardo Silva voltou a isolar-se no ataque mas rematou ao lado do poste, ainda que a bola tivesse sido desviada por um defesa, o que originou um canto, sem resultados.

Cinco minutos depois, João Félix surgiu bem colocado para rematar, isolado frente ao guardião Olsen, mas rematou por cima da barra.

Diogo Pinto / FPF

Diogo Pinto / FPF

Num espaço de cinco minutos Fernando Santos fez três substituições e Portugal chegou ao 3-0, com um novo golo marcado por Diogo Jota, depois de ter recebido um passe de William, torneou a defesa deslocando-se para o centro da balize, de um disparou um forte remate que levou o selo de golo. Sem espinhas!

Feito o 3-0, nem por isso o jogo abrandou, notando-se no entanto uma certa queda na equipa nacional, o que levou a mais três substituições até aos 88’, sem que o resultado tivesse sido alterado, ainda que Patrício, uma vez mais, negou o golo à Suécia, depois de (83’) obter uma grande defesa, também em voo rasante, para ir buscar a bola que seguia para o poste mais longe, conseguindo agarrá-la.

Apesar do desnível do resultado, a Suécia teve maior posse de bola (52/48%) em termos globais, enquanto nos remates Portugal esteve muito à frente, fazendo 15, dos quais seis para a baliza, do que redundou os três obtidos, contra os 8 feitos pelos suecos (três para a baliza).

Sob a direcção do sérvio Srdjan Jovanovic (que apitou Portugal pela segunda vez), as equipas alinharam:

Portugal – Rui Patrício; Cancelo, Pepe, Rúben Dias e Raphael Guerreiro; William (João Moutinho, 80’), Danilo e Bruno Fernandes (Renato Sanches, 88’); Bernardo Silva (André Silva, 75’), João Félix (Podence, 75’) e Diogo Jota (Diogo Jota, 88’).

Suécia – Olsen; Lustig (Johansson, 48’), Jansson, Lindelof e Bengtsson; Kulusevski (Larsson, 88’), K. Olsson e Ekdal; Claesson, Quaison (Isak, 62’) e Berg (M. Olsson, 88’).

Portugal e França lideram, ambos com 10 pontos (Portugal tem melhor goal-average), seguidos da Croácia (3) e da Suécia, só com derrotas, uma e outra já sem hipóteses de apuramento para a fase seguinte.

Os próximos encontros jogam-se a 14 de Novembro, com Portugal a receber a França para a decisão quase final do grupo (ainda faltará jogar com a Croácia, que também é difícil e que joga no seu país), enquanto a Suécia defrontará a Croácia.

© 2020 Central Noticias. Todos os direitos reservados. XHTML / CSS Valid.